quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Às vezes sinto falta das colisões. Coisas de um passado conturbado, de um coração mal amado. Sinto falta das discussões, das saídas abruptas e regressos impetuosos, das reconciliações. Sinto falta da intensidade desmesurada.

1 comentário:

Ana Margarida disse...

Por vezes, a intensidade é o que nos mantem vivos.